Centro de Conhecimentos da ESAB

Como detetar problemas na qualidade de corte por plasma

14/10/2013

Introdução

Tal como qualquer processo de corte, há muitas variáveis que afetam a qualidade do corte por plasma. Algumas destas variáveis incluem:

  • Tipo de maçarico
  • Alinhamento do maçarico
  • Estado dos consumíveis
  • Tensão do arco ou altura de corte
  • Tipo de gás
  • Pureza do gás
  • Pressão e fluxo de gás
  • Espessura do material
  • Composição do material
  • Estado da superfície
  • Amperagem de corte
  • Tamanho do orifício do bico
  • Velocidade de corte (ou seja, velocidade do curso da máquina)

A maioria destas variáveis são interdependentes, o que significa que se alterar uma variável, estará a afetar as outras. Pode ser difícil tentar resolver problemas de qualidade do corte, por esse motivo reunimos as informações abaixo que fornecem as soluções habituais para alguns dos problemas típicos associados à qualidade do corte. Para começar, selecione a condição mais proeminente:

  • Ângulo de corte
  • Lisura do corte
  • Irregularidade da superfície
  • Escória

Os parâmetros de corte recomendados regra geral fornecem a melhor qualidade de corte, como tal consulte o manual de dados de corte do seu sistema para as definições de parâmetros sugeridas. Ocasionalmente as condições podem variar e pode ser necessário fazer pequenos ajustes. Se assim for:

  1. Faça pequenas alterações incrementais ao fluxo e à pressão do gás.
  2. Ajuste a tensão do ar em incrementos de um volt, para cima ou para baixo, conforme for necessário.
  3. Ajuste a velocidade de corte em incrementos de cinco por cento ou menos, até as condições melhorarem.
Click for larger view

Ângulo de corte

Ângulo de corte negativo

Se a dimensão superior de uma peça for superior à dimensão inferior, tem um ângulo de corte "negativo". Isto pode ser provocado por:

  • Maçarico desalinhado
  • Material dobrado ou empenado
  • Consumíveis gastos ou danificados
  • Tensão de arco baixa e/ou
  • Velocidade de corte demasiado lenta

Positive Cut Angle - Click for larger viewÂngulo de corte positivo

Quando a dimensão superior é inferior à dimensão inferior, trata-se de um ângulo de corte "positivo". Regra geral isto é provocado por:

  • Maçarico desalinhado
  • Material dobrado ou empenado
  • Consumíveis gastos ou danificados
  • Tensão de arco alta
  • Velocidade de corte demasiado alta e/ou
  • Definições de amperagem inadequadas

Lisura do corte

Click for larger viewParte superior e inferior arredondadas

Isto normalmente só acontece quando se corta materiais mais finos, menos de 6 mm (1/4") de espessura. Deve-se na maior parte dos casos à aplicação de potência excessiva no material ou à utilização de corrente excessiva (amperagem) para a espessura do material.






Top Edge Undercut - Click for larger view

Bordo queimado do bordo superior

Quando os lados da face de corte estão curvos para dentro muito provavelmente deve-se ao corte com o maçarico demasiado próximo do material. Isto acontece quando a tensão do arco está definida com um valor demasiado baixo para a espessura de material fornecida.





 

Surface Finish - Click for larger view

Acabamento da superfície

Irregularidade induzida pelo processo

Se detetar irregularidades consistentes na face de corte, aparecendo por vezes apenas num eixo, provavelmente são induzidas pelo processo. Os problemas prováveis incluem:

  • Consumíveis gastos ou danificados e/ou
  • Fluxo de gás demasiado alto.

Irregularidade induzida pela máquina

Quando as irregularidades na face de corte são inconsistentes e frequentemente confinadas a um eixo, nesse caso deve procurar irregularidades produzidas pelo movimento da máquina. Isto pode ser provocado por:
  • Sujidade nas calhas, rodas, cremalheira e/ou pinhão da máquina
  • Calhas desalinhadas
  • Rodas ou rolamentos gastos, danificados ou soltos.

Escória

A escória acontece. E há muitas coisas que podem afetar o desempenho da escória. Os modernos sistemas de plasma apresentam um leque razoavelmente grande de corte sem escória, por isso quando começa a ver formação de escória nas suas peças, normalmente significa que há um problema. Há muitas variedades diferentes de escória, nomeadamente, escória de alta velocidade, escória de baixa velocidade e escória superior.

High Speed Dross - Click for larger viewEscória de alta velocidade

Quando a escória é pequena mas parece soldada ou laminada na superfície inferior da peça de corte, isto é normalmente causado por corte demasiado rápido. Este tipo de escória é difícil de remover e pode requerer retificação. É frequentemente acompanhado de linhas desfasamento em forma de S, que também indicam que está a cortar demasiado rápido. Veja também se a tensão de arco está demasiado alta.

 

 

Low Speed Dross - Click for larger view

Escória de baixa velocidade

A escória de baixa velocidade assume a forma de glóbulos maiores na parte inferior do corte, mas regra geral solta-se muito facilmente. Experimente acelerar e/ou ajustar a tensão de arco para um valor mais alto para aumentar a altura de corte.





Top Dross - Click for larger viewEscória superior

Isto aparece como salpicos em cima das peças e regra geral é fácil de remover. Está frequentemente associada ao corte demasiado rápido ou ao corte demasiado alto (tensão de arco alta).








Escória intermitente

Se a escória é inconsistente, aparece na parte de cima ou de baixo da peça; verifique quanto a consumíveis gastos.

Outros fatores que afetam a escória:

Há outros fatores que podem afetar a formação de escória, a sua maioria está relacionada com o próprio material. Isto pode incluir temperatura do material, estado da superfície como, por exemplo, ferrugem ou raspas de laminagem acentuadas e a composição do material. Por exemplo, as ligas contendo níveis elevados de carbono formarão tipicamente mais escória.

Publicado Em Sistemas de corte , Marcado Com Plasma, Processo

x
x

x

Loading..